Conheça nossos planos de saúde

Conheça os principais tipos de leite {de vaca aos vegetais}

Leite tipo A, tipo B, tipo C, integral, leite vegetal… haja leite! Quais são as diferenças entre eles? Descubra e escolha os melhores para você!

Ana Araujo
| Atualizado em
7 min. de leitura
Close de mãos retirando uma garrafa de leite da prateleira

Close de mãos retirando uma garrafa de leite da prateleira

Tamanho do texto

Ao contrário de outros animais, os seres humanos decidiram que beber leite depois de adultos seria uma boa. Só que, em vez do materno, temos uma gama de tipos de leite à disposição {vindos de outros animais e até de vegetais}.

São tantas opções que dá até para se confundir na hora das compras. Só o leite de vaca tem um sem-número de variações — tipo A, tipo B, tipo C, sem lactose, vindos de vacas A2A2… 

Se ampliarmos o leque para as versões vegetais, surgirão ainda mais tipos de leite. Eles são os escolhidos das pessoas que optaram por dietas vegetarianas estritas ou pelo estilo de vida vegano e das que são intolerantes à lactose ou têm alergia à proteína do leite, a caseína.

Haja opções! Mas e aí, qual colocar no carrinho e levar para casa? A nutricionista Elena Curatella, da Comunidade de Saúde da Alice, ajuda a desbravar esta via láctea {trocadilho bom, vai?}. 

Tipos de leite de vaca

Não importa se A, B ou C, com ou sem lactose: o leite de vaca é sempre uma forma fácil e acessível de ingerir cálcio, proteínas, ácido fólico, fósforo e potássio.

Apesar de tantos benefícios, ele é contraindicado para quem tem alergia à proteína do leite, gastrite ou que se sinta mal depois de consumir leites e derivados. 

Para os intolerantes à lactose, existem as versões chamadas de “sem lactose” {que têm adição da enzima que digere a lactose, chamada de lactase, e assim são liberados para os intolerantes a essa substância}.

planner plano alimentar semanal

Leite tipo A, tipo B ou tipo C?

Essa classificação é usada para mostrar o grau de pasteurização {aquele processo no qual se aquece o produto para matar micro-organismos perigosos} de um leite.

  • Leite tipo A: ele vem de um único rebanho e, durante todo o processo, não existe contato manual com o leite. “A ordenha é mecânica e o leite segue por tubulações diretamente para o compartimento onde passa pela pasteurização, homogeneização e envase”, explica Curatella. O número máximo de bactérias permitido para este leite é de 500/ml;
  • Leite tipo B: vem de rebanhos diferentes e a ordenha pode ser feita mecânica ou manualmente. O leite deve ser refrigerado no próprio lugar em que foi ordenhado {lá na propriedade rural mesmo} por até 48 horas em temperatura igual ou inferior a 4ºC. Ele é levado em tanques até o lugar que vai ser processado e o número máximo de bactérias permitido é de 40.000/ml;
  • Leite tipo C: ele vem do mesmo rebanho e tem o mesmo tipo de ordenha do leite tipo B. A diferença vem depois: em vez de ser refrigerado na fazenda leiteira, ele é transportado em tanques até um estabelecimento industrial até as 10h do dia da obtenção. Só então ele é processado. Por isso, o número de bactérias presentes é maior, podendo chegar a 100.000/ml.

Integral, semidesnatado ou desnatado?

Aqui, as diferenças estão na quantidade de gordura em cada tipo. Veja:

  • Leite integral: tem, no mínimo, 3 gramas de gordura a cada 100 g ( 3,0g/100g);
  • Leite semidesnatado: de 0,6 a 2,9g/100g;
  • Leite desnatado: no máximo 0,5g/100g.

Leite de vacas A2A2: um capítulo à parte

Esse tipo vem de vacas que produzem apenas leites cuja proteína é a beta-caseína A2. Alguns estudos e revisões sistemáticas, como este publicado no Journal of Nutrition, associou-a a uma melhor digestão em pessoas sensíveis à caseína no geral. No entanto, ainda são necessários mais estudos para bater o martelo deste benefício. 

Tipos de leites vegetais

Tecnicamente, eles não podem ser chamados de “leites” porque não vêm de mamíferos, mas vamos combinar que é assim que todo mundo os conhece, né? Essas bebidas vegetais são gostosas e boas alternativas para quem não pode ou não quer consumir leites de origem animal. 

Na hora de comprar, prefira produtos sem adição de açúcar e com a lista de ingredientes mais enxuta possível. Na dúvida, confira nosso manual para ler rótulos e encontrar alimentos saudáveis.

Vale também prestar atenção na lista de nutrientes que indicamos a seguir. A maior parte delas não é fonte de cálcio {e quem cortou o leite de vaca pode sentir falta desse nutriente no dia a dia}. Para adicionar cálcio ao cardápio, vá de vegetais de folhas verde-escuro (espinafre, couve, agrião, rúcula etc.). 

Leite de soja

Benefícios: por também ser fonte de proteínas, é uma boa opção ao leite de origem animal para quem é vegetariano ou vegano e para quem tem alergia à proteína do leite ou é intolerante à lactose. Também é fonte de cálcio e potássio.

Contraindicações: pessoas com alergia à soja.

Dica de consumo: ele substitui bem o leite de vaca em diversas receitas, então, vale soltar a imaginação!

Leite de coco

Benefícios: além de também ser opção aos leites animais, é fonte de potássio e deixa qualquer receita mais cremosa.

Contraindicações: graças ao maior teor de gorduras saturadas, pede atenção por quem está buscando o emagrecimento.

Dica de consumo: além de ser uma delícia puro, cai bem em receitas como moqueca e bolos. Apenas tome cuidado para não ferver esse leite {a gordura desprende e ele “talha”}. 

Leite de amêndoas

Benefícios: alguns estudos e revisões associaram a oleaginosa à redução do colesterol LDL, considerado “ruim”, e ao aumento do HDL, o “bom”, graças às suas gorduras insaturadas. Então, a bebida que vem dela também traz os benefícios, além de ser fonte de vitamina E. 

Contraindicações: pessoas alérgicas a amêndoas.

Dica de consumo: prefira as versões sem açúcar para incluir em receitas — esse leite fica ótimo em bebidas com café. 

Leite de castanhas

Benefícios: assim como a bebida de amêndoas, também ajuda a melhorar o perfil lipídico (menos colesterol LDL, mais HDL). Também é fonte de magnésio, gorduras insaturadas e antioxidantes.

Contraindicações: pessoas alérgicas a castanhas.

Dica de consumo: seja na versão comum ou nas mais cremosas, chamadas de “baristas”, fica uma delícia no preparo de bebidas, como cappuccinos e chocolates quentes. Até espuminha ele faz!

Leite de aveia

Benefícios: traz cálcio e potássio para quem bebe, além de ser uma opção barata para quem faz em casa suas próprias bebidas vegetais.

Contraindicações: pessoas alérgicas à aveia.

Dica de consumo: como “engrossa” quando levado ao fogo, cai bem em mingaus, cremes e bebidas quentinhas.

Leite de arroz

Benefícios: é fonte de cálcio e costuma ser menos propenso a causar alergias na comparação com as colegas de categoria. Outra vantagem é o sabor, que costuma ser naturalmente mais adocicado.

Contraindicações: não há. 

Dica de consumo: puro, em vitaminas ou receitas. Cai muito bem na horchata, bebida típica do México que também inclui canela e baunilha.

Leite de gergelim

Benefícios: ótima fonte de cálcio, proteínas e antioxidantes. 

Contraindicações: alérgicos ao gergelim e pessoas que preferem comprar seus leites prontos {é difícil encontrar essa bebida nos supermercados, então a saída é fazê-la em casa}.

Dica de consumo: puro, em vitaminas ou receitas.

Ebook de receitas saudáveis Alice na cozinha

Alice tem o plano de saúde certo para a sua empresa

A Alice é um plano de saúde com um Time de Saúde que está preparado para ajudar seus colaboradores a resolverem qualquer queixa de saúde, com atendimento feito por médicos e enfermeiros 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Nossa cobertura é nacional, com uma rede credenciada de excelência, incluindo os melhores hospitais e laboratórios, e especialistas escolhidos a dedo.

E olha só que prático: todas as informações que os nossos membros precisam para cuidar da sua saúde estão no app: encaminhamento e agendamento de consultas e exames, receitas, resultados integrados, histórico… A nossa coordenação de cuidado amarra todas essas pontas para que a gente acompanhe a jornada de cada pessoa e possa oferecer o melhor cuidado, de forma eficiente e resolutiva.

O resultado são colaboradores mais saudáveis e que amam a experiência de ter Alice.

Tudo isso com uma experiência incrível para o RH, com contratação rápida, sem burocracia, e com controle de custo.

Bora oferecer mais saúde para a sua equipe?

O que achou desse artigo?

Média: 2,33 / 3 votos

1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas

Ao navegar neste site, você está de acordo com a nossa Política de Privacidade

Quanto custa o plano de saúde Alice?

Faça uma cotação para a sua empresa

Plano de saúde empresarial da Alice

Os melhores hospitais, laboratórios e atendimento 24 horas pelo app para cuidar dos seus colaboradores.

Ver planos