Conheça nossos planos de saúde

Funcional na areia: veja os benefícios da atividade

Time Alice
9 min. de leitura
Pessoas fazem funcional na areia

Pessoas fazem funcional na areia

Tamanho do texto

Se você tem a sorte de morar no litoral ou vai passar uns dias de férias na praia, por que não aproveitar o local para fazer um treino funcional na areia?

O cenário de sol, mar e água fresca pode ser um incentivo para realizar esse tipo de exercício, que trabalha várias partes do corpo. 

Mas quem mora em São Paulo e está longe do mar também pode desfrutar do exercício em quadras de areia, que também costumam oferecer futevôlei, beach tênis e vôlei de praia. 

E não é só a paisagem e o clima praiano que tornam a prática mais agradável e benéfica à saúde, viu? 

Existe uma questão biomecânica que aumenta o gasto calórico e fortalece a capacidade cardiorrespiratória, como vamos te explicar a seguir.

Benefícios do treino funcional na areia  

Exercícios realizados na areia têm como principal vantagem a força de reação do solo.

“Em solos menos regulares, temos menos energia devolvida quando a gente pisa. Então, no contato com a areia, acabamos fazendo um esforço maior e gastando mais energia para nos movimentarmos”, explica a preparadora física Thatiane Franco, da Alice.

O treino funcional realizado na areia é similar ao que ocorre em locais fechados ou espaços com piso liso ou asfaltado. 

Tanto ao ar livre quanto na academia, o objetivo é trabalhar movimentos que são naturais na vida das pessoas, como agachar, puxar, subir, correr, pular, arremessar, entre outros. 

“Independentemente de ser na areia ou no piso firme, o treinamento funcional tem o princípio de desenvolver capacidades como agilidade, equilíbrio e flexibilidade”, enumera Franco. 

O treinamento funcional pode ser feito individualmente ou em grupo, e sempre é recomendada a orientação de um profissional de educação física. 

Exemplos de exercício funcional na areia 

A sequência de exercícios no treino funcional costuma envolver o uso de acessórios como cones, pesos, barras, elásticos, bolas, cordas e steps. Veja alguns exemplos:

  • Escada de agilidade: com uma espécie de escada enrolável, são demarcados espaços no solo para orientar o praticante sobre onde colocar o pé ao se movimentar. O ritmo das passadas depende muito da trajetória indicada pelo treinador. Pode ser em linha reta, pisadas alternadas ou até envolver pequenos saltos;
  • Deslocamento com cones: a atividade também permite muitas variações. O praticante pode ter que trocar os cones de lugar, correr entre eles ou até empilhá-los em um local mais distante;
  • Tiros de corrida:  a pessoa deve tentar correr o mais rápido que conseguir até um ponto determinado ou durante um período intervalado de cerca de 30 segundos (com outros 30 segundos de pausa).
  • Agachamento: é semelhante ao ato de sentar em uma cadeira. Com os pés afastados na largura dos ombros, o bumbum deve ser empurrado para trás e para baixo, com o tronco levemente inclinado para frente. Para a realização do agachamento, podem ser incluídos acessórios como pesos nas mãos. 
  • Afundo: esse exercício trabalha principalmente os membros inferiores. Enquanto uma perna é posicionada para frente com o joelho flexionado e o pé apoiado no chão, a outra perna fica flexionada para trás. Com o abdômen contraído, o praticante deve movimentar as pernas nessas posições para a frente. Também podem ser usados acessórios como pesos, barras e steps para a realização desse exercício durante o treinamento funcional. 
  • Exercícios isométricos: em um circuito funcional, uma opção é incluir exercícios estáticos entre uma atividade e outra. A posição de prancha é uma das mais conhecidas e exige que a pessoa consiga contrair e suportar o peso do corpo somente com os pés e cotovelos apoiados no chão durante um tempo pré-determinado. 
  • Abdominal: o tradicional abdominal também está sempre presente nos treinamentos funcionais. Com diferentes variações, tem como foco principal a flexão do tronco, que deve estar bem apoiado no chão. 

Cuidados ao treinar na areia 

O treino funcional na areia faz com que o praticante trabalhe bastante a coordenação motora. Isso porque o solo irregular demanda mais atenção às pisadas para manter o equilíbrio do corpo e evitar lesões. 

Como também há maior gasto de energia, a capacidade cardiorrespiratória é testada o tempo todo {quem exagera pode ter aquela sensação de coração na boca!}.

O ideal é respeitar os limites do corpo, dosando a velocidade de realização e o grau de dificuldade dos exercícios conforme as condições físicas. 

Como qualquer atividade física, o funcional na areia demanda alongamento e aquecimento prévios para um bom desempenho. 

E estando a céu aberto, medidas de proteção aos raios ultravioletas são sempre recomendadas. Protetor solar, óculos escuros e roupas com proteção UV, incluindo boné ou chapéu, não podem faltar!

Treino funcional na praia: descalço ou tênis para correr na areia?  

Os exercícios funcionais na areia podem ser feitos descalços, com tênis ou sapatilha específica (também chamada de meia para correr na praia). A escolha vai depender de alguns fatores, incluindo, claro, a preferência pessoal. 

Se a areia for fofa, a chance dos grãos entrarem no calçado durante o movimento é muito maior. O atrito com a pele, somado ao calor, pode fazer com que apareçam incômodos, feridas e até bolhas. E isso pode piorar se o calçado acabar sendo molhado pela água do mar. 

Por outro lado, se a areia estiver muito quente e houver risco de ter objetos pontiagudos, as sapatilhas ou os tênis possibilitam maior proteção. 

Os objetivos do praticante e eventuais condições pré-existentes de saúde também devem ser levados em conta. 

O funcional descalço pode ajudar a melhorar a pisada, o equilíbrio e a postura, o que contribui para uma maior consciência corporal. Outra vantagem é que há um fortalecimento dos músculos dos pés e o desenvolvimento da mobilidade das articulações do tornozelo. 

A irregularidade do solo e o contato direto com a areia estimulam ainda os proprioceptores, mecanismos sensitivos localizados nos músculos, tendões e ligamentos.  

Mas quem tem fascite plantar, entorses de tornozelo ou lesões no tendão de Aquiles precisa buscar orientação médica antes de treinar na praia.  

Calçados de apoio podem ser necessários para não piorar essas condições. Há estudos científicos que comprovam essa possibilidade de agravamento, principalmente quando são feitas corridas na areia.  

Planilha de corrida para iniciantes Banner

Correr na areia emagrece? 

Durante os exercícios de funcional, é bem provável que o praticante tenha que correr em vários momentos.

A grande vantagem desse movimento acelerado é que ele pode ajudar a emagrecer. 

Um estudo que comparou a realização de corridas longas na areia e na grama registrou maior gasto calórico na primeira opção. 

Mas antes de fazer cooper sentindo a brisa do mar, valem os mesmos cuidados listados para o treinamento funcional: respeitar os limites do corpo, proteger a pele de queimaduras e avaliar as condições da areia antes de cobrir os pés com tênis ou sapatilhas. 

Prefira sempre faixas de terra firme e sem inclinação. Evite correr na areia fofa por longos períodos, pois será necessário aumentar a amplitude das passadas e isso pode sobrecarregar as articulações. 

Lembre-se: o sucesso de toda atividade física depende do histórico e da realidade do praticante. Por isso, ao se exercitar ou praticar esportes na areia, busque sempre contar com a orientação de um preparador físico!

Como a Alice te ajuda a ter uma vida ativa? 

A Alice é uma gestora de saúde, que tem tudo que um plano de saúde tem {hospitais, laboratórios e médicos credenciados}, mas vai além. 

A gestora de saúde Alice acompanha a saúde de cada membro de pertinho, de forma personalizada e coordenada, com foco na promoção de hábitos saudáveis. 

Assim como uma gestora de investimento te auxilia na hora de investir seu dinheiro, uma gestora de saúde é responsável por ajudar você a definir suas metas de saúde e dar todo o apoio que você precisa para se manter saudável.

Se sair do sofá é uma das suas metas, a Alice quer ser sua parceira nesta jornada! Olha só como a gente pode te ajudar a sair do sedentarismo ou aumentar sua frequência de atividades:

  • As pessoas membras têm canal direto com preparadores físicos pelo app da Alice, via chat. Vocês vão interagir por áudio, vídeo ou texto, para que algum profissional de preparação física te ajude a incluir atividades físicas no seu dia a dia;
  • Conteúdos exclusivos? Temos! São checklists, planilhas e outros materiais para ir cada vez mais longe;
  • Também dispomos de uma grade de aulas remotas de vários exercícios físicos, como yoga, funcional, alongamento e relaxamento.

Essas medidas ajudam nossos membros a mexerem o corpo da melhor forma para cada um.

A Alice investe nessas soluções porque acredita que praticar atividades físicas é uma parte importante da saúde. Afinal, somos mais do que um plano de saúde: somos uma gestora de saúde que olha para as pessoas por inteiro e faz de tudo para mantê-las saudáveis e felizes.

O que achou desse artigo?

Nenhuma avaliação

1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas

Ao navegar neste site, você está de acordo com a nossa Política de Privacidade

Quanto custa o plano de saúde Alice?

Faça uma cotação para a sua empresa

Plano de saúde empresarial da Alice

Os melhores hospitais, laboratórios e atendimento 24 horas pelo app para cuidar dos seus colaboradores.

Ver planos